domingo, 1 de setembro de 2019

Volta do Rio São João em Garuva (SC) 31/08/2019

Hoje foi o dia de recepcionar o grupo de pedal Os Monxtros, de São Bento do Sul. Conheço o pessoal desde 2016, com quem realizei esse primeiro pedal de respeito. O meu contato sempre foi o Cláudio de Mello, a quem agradeço a atenção em organizar e fazer todas as tratativas com o grupo, para que o pedal realmente acontecesse.
O roteiro proposto foi fazer a volta do Rio São João, lá em Garuva. O ponto de encontro seria o Posto Rudnick, na BR-101, em Pirabeiraba.
Às 08:25h., eu e o Dalri, que me acompanhou de Joinville, já estávamos aguardando no local. Os Monxtros, fazendo juz ao nome, viriam pedalando de São Bento (60 km.) e teriam mais uns 80 km. pela frente.
Com apenas 5 minutos de atraso, às 09:05h., foi o momento de rever os amigos.
Às 09:30h., partimos via Caminho Curto e Estrada Palmeira.


Parada na ponte e pinguela sobre o Rio Três Barras, para as tradicionais fotos de todo ciclista que passa aí.





Logo a frente à direita, pegamos a Estrada Rio Cupim. Parada para foto numa casa abandonada, que já se tornou um símbolo em termos de fotografia.


Às 11:00h. estávamos na cidade de Garuva. Parada para compra de água e lanche numa padaria que já conheço. A opção de almoço mais tardio, seria no café colonial Alles Blau, lá na Estrada Bonita que íriamos mostrar no nosso retorno, para quem ainda não conhecia.

Às 11:35h., entramos no contorno do Rio São João, pela margem direita. Seguimos por uma extensão de uns 8 km., com algumas paradas para fotos.




Uma das pinguelas no meio do caminho.


No final, para retornar para a margem esquerda, travessia nessa pinguela.



Após 1 km., tem a ponte coberta de água que faz a interligação das duas margens e que o pessoal aproveitou para ir e voltar algumas vezes, em função da lâmina de água estar bem baixa, devido a grande estiagem pela região.


Saindo de Garuva às 13:00h., pela Avenida Celso Ramos e Estrada Três Barras, que margeiam a BR-101, o destino era a Estrada Bonita. Pelo meio do caminho um prenúncio de uma trovoada se anunciava.
Mas deu tempo de irmos até o final da estrada tirarmos fotos e retornarmos até o café colonial que fica logo na entrada.




Para encerrar, fomos brindados com a chuva, benvinda por sinal, quando adentramos no café.

Agradeço ao Rudi e ao Niarkos (que vieram de carro para o café) e também ao Mello, por me brindarem com uma camisa do Circuito das Araucárias.


Ao Mello, Jean Baretta, Jean Spitzner, Jaciel Grein, Tomaz Litz, Jalasco, Márcio e o companheiro de Joinville, Dalri, minha profunda gratidão por propiciarem momentos tão agradáveis.


Km. do dia: 112
Altimetria máxima: 90 m.
Altimetria mínima: 0 m.
Track(roteiro): aqui
Fotos: Mello, Dalri e Heil