domingo, 31 de julho de 2016

Subindo Rio do Júlio 30/07/2016

Este é um dos pedais que já tinha programado algumas vezes e nunca consegui realizar. Sempre fiz esta estrada no sentido contrário, sendo a primeira com o Odois Expedição, em 2010.
O pedal foi organizado pelo Moacir (Moa), que não pode participar por problemas de saúde do sogro, na noite antes do passeio.

Os participantes, da esquerda para direita: Xuxa, Beto, eu e o Nei.


Às 06:05h. saímos da Expoville, sentido Schroeder, pela Rodovia do Arroz. Entramos pelo acesso de Schroeder I.


Na avenida de entrada da cidade paramos na Padaria e Confeitaria Flohr (próxima a igreja católica São Vendelino). Sempre gostei de parar aí, pois o local tem um preço justo, além de uma variedade de doces, que são os meus prediletos num café da manhã.
Todos devidamente reabastecidos, atravessamos a cidade no sentido sul-norte, indo pelo bairro Santa Luzia. No trajeto foram adicionados alguns quilômetros de asfalto recentemente.



E agora vai começar a brincadeira.


A subida da Estrada do Rio do Júlio é um bom teste para seu coração e pulmão. A travessia toda até a rodovia SC-301(ou Estrada Dona Francisca) dá aproximadamente 27km. Nos primeiros 10km. a altimetria vai para faixa dos 700m., tendo como ponto de partida uns 70m. Nos km. restantes, fica girando entre 600 a 800m. de altura.
A estrada é cercada pela Mata Atlântica, sendo que mais ou menos pelo meio do caminho, há a divisa entre os municípios de Schroeder e Joinville.
Como choveu no dia anterior, a estrada um pouco enlameada dificultava ainda mais a já difícil subida.






Os primeiros 4km. da estrada são os mais pesados, até se chegar ao rio/cachoeira Macaquinho. Este é um ponto de parada de todos os ciclistas, para lanche, abastecimento de água, para um descanso e em épocas quentes, para um banho. A água atravessa a estrada, sendo tranquilo atravessar de automóvel, quando não é época de muitas chuvas.






Recobrada parte das energias após a parada/lanche, seguimos subindo.



Num hotel, já no município de Joinville, fomos recebidos por um pônei, que nos pediu um pouco de atenção e carinho.



Na antiga represa do Rio do Júlio, parada para um lanche do meio-dia.

 na

E agora o trecho final para chegar para chegar na Estrada Dona Francisca.



Não antes de subir o morrinho, aonde fica a Igreja Luterana toda construída em madeira. A igreja é muito procurada para casamentos, principalmente no final do ano, por causa das hortências que cobrem todo o morrinho.










Após a entrada no asfalto da Estrada Dona Francisca, percorremos uns 2,5km. até um local à esquerda da rodovia para quem vem de Campo Alegre, aonde servem caldo de cana e empadinhas de palmito. Tudo muito limpo e organizado, feito e servido pelos próprios donos. Vale a pena a parada.
De agora em diante, vai ser de muita atenção para descer a serra, local sempre procurado pelos ciclistas.

Última foto do dia e agradecimentos ao Xuxa, Beto e Nei pela companhia. Um pedal para ser repetido sempre que possível.



Km. do dia: 123
Track: aqui

2 comentários:

  1. Parabéns. Esse trajeto está na minha lista.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns,já fiz esse pedal com meu filho,umas duas vezes nos dois sentidos,amo esse lugar!!!!!!

    ResponderExcluir