domingo, 18 de abril de 2021

Joinville-Estrada Palmital(parcial)-Itapoá-Vila da Glória 17/04/2021

Hoje foi o dia de recepcionar o Sandro Marcelo dos Santos e o Hilário Frederico Trapp, ambos de Jaraguá do Sul, para um pedal proposto inicialmente por parte da Estrada Palmital, Saí Mirim e Vila da Glória.


Às 07:35h., partimos do Rudnick (nosso ponto de encontro), passando por Caminho Curto, Estrada Palmeiras, Rio Três Barras.




Logo a frente, dobramos à direita na estrada do Rio Cupim, aonde a 1 km. tem uma casa abandonada com árvores recheadas de barba de velho e uma infinidade de bromélias, que se tornou ponto de parada para registro de imagens da maioria dos ciclistas que por ali passam.



Acesso a Estrada Palmital e parada no bar/lanchonete as margens do rio do mesmo nome, para um café/lanche. Café servido na mesa, em garrafa térmica e leiteira, aonde é cobrado por copo tomado. O cliente é que diz quantos tomou, fato raro de confiança hoje em dia. É uma parada tradicional de ciclistas da região.

Devidamente reabastecidos, seguimos por uma extensão de 8 km. até a confluência à esquerda na lanchonete Baraharas, para a localidade de Bom Futuro.



Essa estrada segue em parte o asfalto que liga ao porto de Itapoá (SC-416).
 

Após uns 10 km. de estrada de chão e alguns pequenos morrinhos, saímos no asfalto. Logo a frente teria a entrada para a localidade de Saí Mirim. Como o Sandro e o Hilário já conheciam a localidade, bem como o casarão que lá existe, houve consenso da maioria de irmos até Itapoá, que os 2 ainda não conheciam de bike. 




Às 11:55 h. paramos para o nosso almoço, bem farto por sinal.

Na saída do restaurante enfrentamos uma chuva bem forte e seguimos rumo ao porto e depois no acesso a Vila da Glória pelo conhecido areião (uns 7 km.-SFS-23).



Parada no trapiche da Vila da Glória para apreciar a beleza do local e tomarmos um café para aquecer o corpo molhado.




E agora enfrentar as subidinhas antes de chegar na balsa da Vigorelli, aonde pegamos o horário das 16:00h.



Me despedi do Sandro e do Hilário, agradecendo a companhia, no início da Estrada da Ilha, de onde seguiriam de volta ao Rudnick.

Chegada em casa às 17:27 h. 

Km. do dia:  146,38
Altimetria máxima: 75 m.
Altimetria mínima: 6 m.
Altimetria acumulada: 616 m.
Fotos: Heil e Sandro
Track(roteiro): aqui

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

Nascer do sol na Ponta do Araçá, Porto Belo 20/02/2021

Aproveitando o final de semana em Itapema, convidei o Humberto e o Márcio de Camboriú, com os quais ainda não tinha pedalado, e também o Thiago, com quem fiz um pedal para a Cachoeira do Amâncio, em 2019, que fica em Biguaçú.

O pedal curto era para ver o sol nascer lá na Ponta do Araçá. Local em que já pedalei diversas vezes.

Às 04:45h., no horário combinado, partimos pelo Perequê, Porto Belo, Caixa d'Aço e chegamos na Ponta às 05:30h. Aguardamos o belo espetáculo da natureza, que se iniciou às 06:01h.



Da esquerda para direita: Márcio, Humberto, Thiago e eu.






Momento de retornar pelo mesmo caminho. 





Retorno em casa às 07:10h. para um novo café.

Agradeço aos companheiros por saírem tão cedo da cama. Foram recompensados pela bela imagem que ficará marcada para sempre na memória.

Km. do dia: 28,8
Altimetria máxima: 86 m.
Altimetria mínima: -1 m.
Altimetria acumulada: 294 m.
Track(roteiro): aqui


terça-feira, 5 de janeiro de 2021

Prudentópolis/PR

Hoje, depois de 10 anos, vou fazer uma homenagem ao Grupo Odois, o qual participo, dessa nossa cicloviagem pelos saltos e cachoeiras de Prudentópolis.

Vejam o relato e vídeo.


http://odois.org/110105