sexta-feira, 14 de junho de 2013

Viagem Joinville-Rio Natal-Joinville. Dia 2: Rio Natal-Rio Vermelho-Campo Alegre-Joinville-19/05/2013

Acordamos às 06:30h. Após o café, arrumação de todas as tralhas e partida às 08:50h., não antes de apanharmos algumas tangerinas para o lanche no caminho. Deixamos uma pequena contribuição na escadaria que dá acesso a casa principal.
Hoje faríamos o trecho 4 do Circuito das Araucárias, com muitas subidas.



Morro da Igreja ao fundo com 842m. de altura. Local para a prática de montanhismo com vários graus de dificuldade.


Percorremos uns 900m. no plano e depois começaram as subidas. Muitas mesmo, entremeadas de bananais. Em alguns trechos, o empurra-bike foi a alternativa mais recomendada.


Mirante de Rio Natal, local escolhido para descanso e lanche. Quando apanhei as tangerinas lá no camping pensei exatamente neste local, já conhecido de outra viagem, para saboreá-las. A neblina não permitiu aproveitar todo o visual do mirante, mas para compensar, fomos presenteados com belos pássaros, pousados num galho de embaúba.






E antes da confluência desta estrada com a do Rio Vermelho, uma subida das bravas que vai dar no trilho do trem.



Antes do localidade do Rio Vermelho, o projeto inicial era percorrermos um trecho por dentro de uma área de reflorestamento, mas devidos as chuvas a estrada estava impedalável e portanto, seguimos o caminho normal do Circuito das Araucárias.

Portal de Rio Natal para quem vai descer a serra.


Localidade de Rio Vermelho.


E quando vc. pensa que já subiu tudo, lá vem morro e mais morro. Pelo gps, o ponto mais alto foi de 1.054m. de altitude.



Estamos quase em Campo Alegre.


Finalmente após passarmos por uma série de bonitas chácaras, íriamos começar a descida para a cidade.




Centro de Campo Alegre, aonde chegamos na Churrascaria do Egon às 13:35h., no trevo de acesso a cidade.



Com as energias recuperadas, saímos do restaurante às 15:10h. rumo a Joinville (SC-301), para descer a Serra Dona Francisca.


Por ser final de tarde, antes da descida uma neblina foi tomando conta do trajeto e tivemos que ter toda a precaução possível, pois a pista estava molhada e também, pela dificuldade da nossa visualização pelos carros. Somado a isto, ainda tivemos um furo do pneu do Willian. Por sorte, foi logo após o mirante, numa curva, aonde a velocidade estava bem baixa.
Agradecemos quando paramos num posto logo após a descida, para tomar um café para esquentar.



Chegamos em casa às18:10h.
Agradeço ao Willian pela agradável companhia e tenho certeza que faremos mais viagens juntos.

Fotos: Willian e Heil
Km.do dia: 95
Altimetria máxima: 1.054m.
Track: aqui



Um comentário: